Concurso literário regional já tem o nome do vencedor

 
Chegou ao fim ontem a avaliação das redações escritas por alunos de todo o Grande ABC, participantes da 11ª edição do Desafio de Redação, concurso literário promovido pelo Diário. O estudante que elaborou o melhor texto, e que ganhará uma bolsa integral de estudos em qualquer um dos cursos da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), será conhecido no próximo dia 23, em evento de premiação na sede da universidade, na Avenida Goiás.
 
Equipe de 200 pessoas, entre professores e estudantes da USCS das áreas de Pedagogia, Jornalismo e Direito, leram, desde a última semana de agosto, quando o concurso foi lançado, 104.451 redações com o tema O Lixo Nosso de Cada Dia. “Colocar 104 mil estudantes em reflexão sobre um tema de interesse público e coletivo e fazer com que os jovens se coloquem como protagonistas de um processo de contribuição têm relevância enorme. A gente dá um passo adiante, muito grande, no processo de cidadania”, salientou o coordenador de projetos de extensão e integrante da organização do evento Ricardo Carvalho de Almeida.
 
A comissão de avaliação leva em consideração, para a escolha dos melhores textos, os critérios de coerência com o tema, criatividade, coerência gramatical, legibilidade e obediência ao número de linhas – mínimo de 20 e máximo de 30.
 
Ao todo, são seis categorias (6º e 7º anos do Ensino Fundamental; 8º e 9º anos do Ensino Fundamental; 1ª e 2ª séries do Ensino Médio; 3ª série do Ensino Médio; 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental da EJA (Educação de Jovens e Adultos) e Telessala; e 1ª a 3ª séries do Ensino Médio da EJA e Telessala. Os primeiros e segundos colocados, em cada categoria, ganharão prêmios que variam de TV 20 polegadas (ou similar) a notebook.
 
A edição deste ano trouxe algumas novidades, como a possibilidade de dois tipos de gênero textual. “Aqueles que estão no Ensino Médio trabalham com o gênero dissertativo ou argumentativo, para que o Desafio contribua com a preparação para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), onde escreverão textos com esse formato; e os demais com o gênero livre, que pode ser poema, crônica e conto”, explicou Ricardo Almeida.
 
“A gente percebe a vontade que eles têm de explicar, de melhorar o mundo. É um grande incentivo do Diário para a população”, comentou a professora de Comunicação Empresarial e uma das avaliadoras Adelsi Fernandes.
 
Outra inovação é uma pesquisa composta por 48 questões relacionadas à área educacional, colocadas no verso da folha de redação, para avaliar como está a Educação na região. “A gente espera que isso dê uma contribuição positiva, e que as escolas utilizem esses dados e as políticas públicas utilizem essas informações”, falou Ricardo Almeida.