Desafio recebe 97,7 mil redações

A décima edição do Desafio de Redação, promovido pelo Diário e que envolve alunos das redes pública e particular das sete cidades da região, concluiu, ontem, a correção dos textos finalistas. Neste ano, o concurso recebeu 97.767 mil produções literárias, ampliando para 1,2 milhão o número total de redações elaboradas desde o início da competição.

Estudantes do Grande ABC soltaram a imaginação e abusaram da criatividade para falar sobre o tema proposto neste ano, Água Não Nasce na Torneira. Tudo porque as melhores produções serão recompensadas, no dia 8 de novembro, com premiações que vão de bicicletas, computadores, TVs até uma bolsa integral de estudos em qualquer um dos cursos da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), correalizadora do evento.

A disputa é dividida em seis categorias, que reúnem alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, além da EJA (Educação de Jovens e Adultos),

De acordo com o coordenador do Desafio de Redação, professor Ricardo de Almeida, a semelhança com o tema da edição passada ajudou os concorrentes a ter reflexão mais profunda neste ano. “As redações têm uma base maior, já que alguns pesquisam e buscam uma discussão sobre o assunto.”

Almeida ainda destaca que um dos pontos fortes dos finalistas é a criatividade aplicada nos textos. “Vieram bastante poemas, contos e até textos em que personagens foram criados para discutir um processo fora de tempo. São ferramentas interessantes que os candidatos utilizaram no contexto da criatividade”, afirmou.

Conforme o professor e coordenador do projeto, o mais importante é o estímulo aos alunos. “O grande prêmio é conseguir com que esses estudantes se coloquem em posição de reflexão sobre tema tão importante como esse da água.”

Ainda de acordo com Almeida, o concurso colabora para a criação da consciência crítica em uma das principais fases da vida. “É importantíssimo esse processo reflexivo. Esses jovens têm a oportunidade de pensar sobre a demanda de cuidar e zelar pelos recursos naturais. Eles quem vão pagar a conta e as consequências dos equívocos, futuramente.”

Segundo o coordenador, a ideia de pensar na questão do recurso hídrico de forma coletiva é outra conquista do concurso literário. “Os estudantes já conseguem fazer trabalho mais crítico e perceber que a responsabilidade dessa questão não é do indivíduo, mas de todos”, concluiu.

O Desafio de Redação conta com apoio da Ecovias, Shopping Golden Square e Aesa (Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André).